Cockbusting

A vertente de Cockbusting é associada á podolatria, por ser feita pelos pés, embora seja mais utilizada no Sado-masoquismo ou solicitada por podolatras submissos que praticam outros fetiches como o referido Sado-masoquismo ou BDSM.

Nesta vertente as mulheres normalmente calçadas pisam e até pulam sobre o saco e escrotos do homem visando diversão e excitação.

Esta vertente transfere as práticas acima directamente para o pênis.

Embora mal interpretado por quem não pratica é garantido pelos praticantes que o sentimento do prazer é intenso e que, por incrível que pareça, quando é bem realizada não provoca dor significativa.

Crush

Um dos tipos de podolatras são os amantes de crush.

Esta vertente podolatra é a que reúne mais podolatras com diferentes gostos.

Estes podolatras deliciam-se simplesmente por ver um pé a esmagar algo.

Os produtos pretendidos para esmagamento são bastante diversos e passam desde produtos comestíveis, animais ou até produtos rijos como telemóveis.

Os podolatras que gostam de ver um pé descalço a proceder ao esmagamento, admiram ver o movimento, o comportamento e o poder de domínio do pé sobre o produto a ser esmagado.

Este é realmente o que fascina este tipo de podolatras.

Um simples pé descalço a proceder ao esmagamento de algo é certamente o mais admirado para estes podolatras.

Muitos podolatras deliciam-se com o comportamento que os dedos dos pés exercem, quando estão na fase do esmagamento.

O sumo do fruto escorrendo entre os dedos é algo que também é bastante apreciado por os adeptos de Crush.

Existem outros podolatras que se fascinam com o mesmo, mas que preferem ver o pé dentro de um sapato aberto.

Pois assim poderão ver o comportamento do pé dentro do sapato a esmagar um fruto ou brinquedo depois de ter brincado um pouco com o mesmo, com o próprio pé.

O facto do pé se encontrar dentro de um sapato, mesmo que aberto, altera o seu comportamento, na fase do esmagamento.

A beleza do próprio pé também se altera quando se encontra descalço ou devidamente calçado.

No Crush são admirados os vários momentos da fase do esmagamento.

Todos estes movimentos são feitos de forma lenta, para que o podolatra se posse deliciar com cada momento.

Outro tipo de amantes de Crush, são os que em conjunto são amantes de retifismo.

Esses preferem ver os sapatos, ou botas a exercerem todo o momento de crush, visto no retifismo não ser o pé descalço o adorado mas sim o pé devidamente calçado.

Dominação Podolatra

Drink Feet

Os amantes de Drinks Feet são podolatras que sentem o seu prazer, bebendo a sua bebida desde que servida por aquilo que consideram um belo pezinho.

Além do prazer sentido pelo podolatra em beber a bebida, ele admira o pé de perto e dá asas á sua imaginação.

A bebida pode ser servida de duas formas.

Ou pelo pé segurando um copo ou directamente com o pé.

Nesta última opção o podolatra tem o prazer extra de sentir o pé em sua boca e de o chupar e lamber, enquanto a bebida é deitada propositadamente sobre o respectivo pé.

Neste caso o podolatra terá também preferências pela vertente do Worship.

Em Portugal existem locais específicos onde por vezes a prática desta vertente é praticada por todos os seus adeptos.

 

Foot Slave

No grupo da vertente do Foot Slave inserem-se simplesmente os podolatras que apenas gostam de admirar e adorar os pés de uma forma submissa.

Este estilo de podolatra não olha para um pé com o objectivo da penetração ou do climax.

Para este tipo de podolatras o momento alto do prazer é atingido quando eles são devidamente autorizados ou até mesmo obrigados a estar deitados aos pés de alguém acariciarndo, adorando ou beijando o referido pé.

O número deste tipo de podolatras é bastante elevado e andam nas ruas como todos outros tipos de podolatras admirando os pés que passam.

Tem a particularidade de gostarem da submissão e na maior parte dos casos, gostam mesmo de usar coleira e trela e de serem tratados como um simples cachorro vádio.

Logo este estilo de podolatra não se importa em dividir o pé da sua parceira com outros podolatras.

Porém são discretos demais e bastante timidos em exporem os seus desejos.

A vertente Foot Slave é bastante usada em outros fetiches, tais como no BDSM e no Sadomasoquismo.

Mas será fácil constatar as diferenças entre as várias práticas desta vertente, porque os amantes desta vertente podolatra gostam de estar simplesmente presos pela respectiva trela adorando os respectivos pés, enquanto por exemplo, a pessoa dona dos pés bebe um simples café ou lê um simples jornal.

O sentimento destes podolatras é puramente de submissão e com o objectivo bem definido de simplesmente servir.

Já os praticantes desta vertente em outros fetiches que não a podolatria, preferem serem humilhados, insultados ou até mesmo agredidos.

Footjob

O footjob é dos fetiches dos pés que mais aderentes atrai.

Chegam a existir praticantes desta vertente que no inicio não têm o fetiche por pés.

O footjob é uma das vertentes do fetiche podolatra que é relacionado facilmente com uma relação ou fetiche sexual, derivado a sua própria essência.

É das poucas vertentes do fetiche por pés que se baseia directamente no estimulo sexual.

Estes podolatras gostam de ser acariciados no seu pénis por um pé até ao momento do climax.

O acariciar do pé no pénis e o admirar o próprio pé são dois dos factores que contribuem para o prazer total destes podolatras.

Net stockings feet

Os podolatras amantes desta vertente, admiram as formas de um pé como qualquer outro podolatra que goste da vertente de Worship.

A diferença é que estes podolatras preferem o pé calçado com uma meia de rede.

O ponto alto para estes podolatras é poderem acariciar o respectivo pé, com as suas mãos e cara, para assim sentirem na pele a suavidade da meia em conjunto com as formas do pé.

Para estes podolatras o facto do pé estar calçado com uma meia de rede dá-lhe a sensualidade que eles tanto admiram.

Nylon feet

Os podolatras amantes desta vertente, admiram as formas de um pé como qualquer outro podolatra que goste da vertente de Worship.

A diferença é que estes podolatras preferem o pé calçado com uma meia de preferencia de Nylon ou Lycra.

O ponto alto para estes podolatras é poderem acariciar o respectivo pé, com as suas mãos e cara, para assim sentirem na pele a suavidade da meia em conjunto com as formas do pé.

A meia mais desejada, costuma ser a meia de Nylon, independente da cor.

Para estes podolatras o facto do pé estar calçado com uma meia da-lhe a sensualidade que eles tanto admiram.

Retifismo

A vertente chamada retifismo, origina-se da obra (e da vida) do escritor francês Nicolas Edme Restif de La Bretonne.

Nascido em 1734 e autor de obras eróticas (autor do livro Le pied de Fanchette, publicado em 1769) de alto teor sexual, tal qual seu contemporâneo e inimigo Marquês de Sade.

O seu estilo era muito mais detalhado e obsessivo.

Era um verdadeiro pintor da sociedade do seu tempo, a França pré-revolução, e suas mulheres tinham pés pequenos e bem detalhados.

O restifismo vem da excitação normalmente masculina ao observar mulheres calçadas, calçando ou descalçando sapatos.

Há a necessidade de observar, tocar, beijar, lamber as solas do calçado.

A paixão destes podolatras não é pelo pé descalço, mas sim pelo calçado no pé ou até em alguns casos longe dele.

Alguns restifistas chegam ao ponto de ter prazer em eles próprios calçarem estes sapatos.

Estes podolatras adoram tirar um pé bem cuidado de um calçado e deliciar-se com o cheiro que um sapato novo deixa na sola dos pés.

Admiram lindas sandálias ou sapatos e desejam sempre estar sob domínio delas.

Geralmente, esse grupo não tem tanta preferência pelo tipo de pé que ele admira e venera.

O importante para este grupo é a beleza do calçado no pé e em alguns casos o odor do material utilizado na sua construção, que o próprio calçado transmite.

Certos amantes retifistas tem a necessidade de observar, tocar, beijar, lamber as solas do calçado.

Outros retifistas chegam ao ponto de ter prazer em eles próprios calçarem estes sapatos.

Porém poderá existir uma confusão na destinção destes podolatras, visto existire três fetiches diferentes onde a adoração de calçado está presente.

As três formas de adorar calçado pode ser efetuada por simples fetichistas, adeptos de BDSM ou podolatras.

Assim para se realizar uma destinção correta devemos analisar a forma em que cada um adora o calçado.

O fetichista só lhe interessa o material de constução do calçado, na grande maioria dos casos têm como objecto preferido de adoração a bota.

Normalmente o material de construção do calçado é o vinil ou napa.

Sendo que existem alguns fetichistas que gosta de pele.

Já o adepto de bdsm valoriza mais importancia ao acto da sua própria submissao perante a domme, do que realmente ao próprio calçado.

Neste tipo de adoradores a sua condição de submissão valoria-se, deixando o factor de adoração do calçado ser relegado para segundo lugar.

Por fim o podolatra valoriza verdadeiramente a bota ou o calçado e a forma da mesma calçada num pé.

Pois neste caso o alvo de adoração é o pe de forma indirecta.

Self toe suckings

A sub vertente Self Toe Sucking tem como adeptos pessoas que gostam simplesmente de chupar, lamber e saborear os dedos dos seus próprios pés.

Eu diria mesmo que esta é a vertente com mais adeptos, relembrando de que todos nós já gostámos de sentir esta sensação numa fase de bebés.

Pois é comum os bebés gostarem desta sensação e preticarem-na regularmente e com o maior avontade, como é natural num inocente bebé.

Com o nosso crescimento natural, este gosto vai-se normalmente perdendo ou esquecendo.

Sendo que muitas vezes, na maior parte dos casos nas pessoas do sexo feminino, este desejo e este gosto acompanha estas mesmas pessoas para toda a vida.

Soles

Os podolatras que se enquadram na vertente soles como o próprio nome indica e a imagem demonstra são podolatras que simplesmente admiram as solas lisas e limpas.

Normalmente este tipo de podolatra prefere uma sola com pele lisa e um calcanhar de forma arredondada.

A vertente Soles podem facilmente ser confundida com outras vertentes idênticas, como é o caso por exemplo da vertente de Wrinkled Soles.

Mas será fácil constatar as diferenças entre elas, porque no Soles é admirado as solas com a pele lisa sem rugas, enquanto que em Wrinkled Soles são admiradas as rugas das solas, causadas pela tentaiva de curvar o pé.

Normalmente os amantes de Soles, preferem solas com curvas bem definidas e calcanhares de forma arredondada.

Sucking feet

Os amantes de Sucking Feet preferem dedicar-se a admirar e a chupar os dedos dos pés.

Mesmo que por vezes eles cheguem a beijar ou a lamber a totalidade do pé é nos dedinhos que estes fetichistas sentem o grande prazer.

Eles preferem lamber e chupar cada um dos dedos de cada pezinho, do que lamberem ou chuparem qualquer outra zona do pé.

Estes podolatras admiram cada milímetro de cada dedo, havendo naturalmente gostos e preferências para todos os tipos de dedos.

O Sucking Feet pode ser confundido com outras vertentes idênticas, como é o caso por exemplo da vertente de Worship.

Mas será fácil constatar as diferenças entre elas, porque no Sucking Feet as partes dos pés admirada são somente os dedos dos mesmos, enquanto que no Worship o podolatra admira todo o pé em geral.

Porém nesta vertente existe uma sub-vertente chamada Self Toe Sucking.

Trample

No trample barefoot os podolatras preferem ser pisados por pés descalços.

Neste tipo de trample o que é verdadeiramente admirado pelo podolatra é sentir as sensações sentidas no contacto da sua pele com a pele dos pés que os pisam.

TRAMPLE SHOES

No trample shoes os podolatras preferem ser pisados por pés devidamente calçados, havendo os que não fazem destinção pelo tipo de calçado ou aqueles que preferem calçado aberto e de saltos finos.

Neste tipo de trample o podolatra admira o prazer de sentir o peso da sua companheira e juntamente o prazer de sentir a sua parceira dominando-o.

TRAMPLE MULTI

Os adeptos de trample multi, gostam de ser pisados quer por pés descalços como por pés calçados com calçado raso.

Neste tipo de trample o podolatra admira o prazer de sentir o peso da sua companheira.

TRAMPLE SMOTHERING

No trample smothering os podolatras preferem ser pisados na cara por pés completamente descalços ou simplesmente calçados com meias.

A posição do pé preferida por estes podolatras é sentirem o calcanhar precionando a boca e a sola do pé no seu nariz.

Outra das posições preferidas por estes podolatras é sentirem os dedos a entrar de forma uniforme na sua boca.

Neste tipo de trample o podolatra admira essencialmemte o cheiro do pé, sendo que normalmente o cheiro mais desejado é o conhecido cheiro de chulé.

TRAMPLE PEDICURE

Os amantes de trample pedicure, são amantes de trample que gostam de dispor da sua própria cabeça para o apoio de um pé, enquanto as unhas do mesmo são envernizadas.

Neste tipo de trample o que é verdadeiramente admirado pelo podolatra é sentir as sensações sentidas no contacto da sua pele com a pele dos pés que se apoiam sobre a sua testa.

Worship

No grupo da vertente do Worship inserem-se simplesmente os podolatras que apenas gostam dos pés e que não querem ser dominados ou dominar ninguém.

Este estilo de podolatra não olha para um pé com o objectivo da penetração ou do climax.

Para este tipo de podolatras o factor principal é a adoração do pé e gostam ainda de acariciar ou beijar o referido pé.

O número deste tipo de podolatras é bastante elevado e andam nas ruas como todos outros tipos de podolatras admirando os pés que passam.

Tem a particularidade de admirar discretamente e por norma não invade o espaço alheio, com o seu olhar.

Logo este estilo de podolatra não se importa em dividir o pé da sua parceira com outros podolatras.

Porém são discretos demais para expor seus desejos.

São muito mais contidos que os podolatras dominadores e buscam os pés pelo conceito da beleza natural do que no calçado que reveste o pé.

O worship pode ainda ser confundido com outras vertentes idênticas, como é o caso por exemplo da vertente de Sucking Feet.

Mas será fácil constatar as diferenças entre elas, porque no Worship o podolatra admira todo o pé em geral, enquanto que no Sucking Feet as partes dos pés admirada são somente os dedos dos mesmos.

Normalmente os podolatras amantes de Worship, dão a sua preferência aos calcanhares de forma arredondada e ás curvinhas acentuadas de cada pé.

Para este tipo de podolatras, os dedos não são o mais importante, bastando terem formas bem torneadas.

Existindo no entanto alguns destes podolatras que não contemplam essa exigência, ignorando simplesmente a zona dos dedos.

Os amantes de Worship tem por norma gostar de sentir o cheiro normal da pele, enquanto beijam e lambem o pé.

O cheiro do chamado chulé é algo que não é agradável aos podolatras que praticam Worship.

Apesar destes podolatras gostarem de beijar, lamber e admirar pés, esse facto nada tem haver com actos sexuais ou algo do género.

O acto é praticado somente com o sentimento de carícia, amizade e satisfação.

 

TOP
error: Conteúdo Protegido!