04

O que é submissão?
A submissão não é um jogo, um sonho ou um ideal.

A SUBMISAO É UM SACERDÓCIO.

Dominação é:

  1. São, Seguro e Consensual
  2. Gratificante
  3. Libertação, Cortesia
  4. Baseada na verdade e no respeito mútuo

Dominação não é:

  1. Abuso, Perverção
  2. rebaixar-se, Manipulação
  3. Uma desculpa para ser rude
  4. Algo imposto ou involuntário
  5. Algo que se aprenda em um dia, uma semana ou mesmo em um ano.


Safeword

Ao optar por iniciar a prática sadomasoquista, deve-se ficar atento a pequenos cuidados para que seus momentos não sejam desastrados ou até mesmo frustrantes.

Para não ultrapassar certos limites, todo sadomasoquista utiliza uma espécie de código de segurança, conhecido como “safeword”. A safeword pode ser caracterizada pelo uso da palavra “piedade”, pela utilização de códigos com cores, como o amarelo (atenção) e vermelho (pare) ou, simplesmente, no caso da pessoa estar amordaçada, ser usado algum sinal, como piscar o olho ou mexer a mão.

Esta safeword é de escolha de quem comanda a relação, não devendo, portanto, ser descumprida para que possíveis acidentes sejam evitados.

Outra dica é sempre respeitar os limites do próprio corpo. Uma situação, por exemplo, é quando se faz uso de cordas para amarrar ou amordaçar o parceiro. É importante que se tenha sempre por perto um objeto cortante, para que em uma emergência – como um mal estar – a pessoa rapidamente fique livre. Os praticantes também devem saber que existem lugares do corpo que as cordas podem realmente provocar danos pouco prazerosos.

 

Regras e Simbologias

Como na sociedade, o BDSM tem suas regras, rituais e símbolos preestabelecidos. A diferença é que aqui as regras são criadas entre as partes, sempre em busca do prazer mais intenso.

As regras determinam como deve ser o comportamento de uma submissa ou escrava diante de seu Dominador e até onde este pode ir nos jogos, cenas ou sessões. Os rituais são as formas como as tarefas e as punições são executadas, basicamente, são condutas que devem ser seguidas, na maioria das vezes pela escrava ou submissa.

Os símbolos, também previamente acertados, como coleiras (virtuais ou não), contratos de escravidão e outros, são usados para acentuar ainda mais, a posse da escrava, e criar um clima que contribua para aumentar sensação de que a vida da escrava pertence aos caprichos e vontades de seu dominador.

Muitas vezes os submissos e escravos iniciantes, quer seja pela dificuldade de encontrar um dono, ou por ansiedade, costumam aceitar todas as regras estabelecidas pelo dominador. O importante, nessa situação, é se observar que tudo aquilo que for construído/estabelecido deve sempre estar de acordo, e dentro dos limites de cada um, pois o que é válido, emocionante e dá prazer a um, a outro pode não fazer sentido algum.

Lembre-se: Dominação e submissão é, acima de tudo, uma relação de respeito e cumplicidade.

TOP
error: Conteúdo Protegido!